A batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre o matrimónio e a família

15-12-2016 12:57

 

A batalha final

"A batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre o matrimónio e a família”, afirmou Irmã Lúcia, a vidente de Fátima, numa longa carta enviada ao Cardeal Carlo Caffarra, Arcebispo de Bolonha (Itália), na qual advertiu também sobre os ataques que confrontarão quem defender estas duas instituições naturais.Esta afirmação de Irmã Lúcia, expressa durante o Pontificado de São João Paulo II...

O semanário mexicano recordou as declarações que o Cardeal Caffarra fez à imprensa italiana em 2008, três anos depois do falecimento da religiosa portuguesa

A 16 de fevereiro de 2008, o Arcebispo italiano havia celebrado uma Missa na tumba de São Pio de Pietrelcina, logo depois da qual deu uma entrevista para a ‘Tele Radio Padre Pio’, quando lhe perguntaram acerca de uma profecia da Irmã Lúcia dos Santos que menciona a “batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás”.

O Cardeal Caffarra explicou que o contato com a religiosa foi a raiz do pedido que lhe fez São João Paulo II, quem lhe deu a missão de planear e estabelecer o Instituto Pontifício para os Estudos do Matrimônio e da Família. No princípio deste trabalho, o Cardeal escreveu uma carta à Irmã Lúcia de Fátima através do seu bispo, pois ele não podia fazê-lo diretamente.

“Inexplicavelmente, como não esperava uma resposta, vendo que só havia pedido suas orações, recebi uma longa carta assinada por ela, a qual atualmente está nos arquivos do Instituto”, indicou o Arcebispo italiano.

“Nela encontramos escrito: ‘A batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás será a respeito do Matrimônio e da Família. Não temam, acrescentou, porque qualquer pessoa que atue a favor da santidade do Matrimónio e da Família sempre será combatida e enfrentada em todas as formas, porque este é o ponto decisivo. Depois concluiu: entretanto, Nossa Senhora já esmagou sua cabeça’”.

O Cardeal Caffarra acrescentou que, “falando também com João Paulo II, podia sentir-se que a família era o ponto central, pois é o fundamento da criação, a verdade da relação entre o homem e a mulher ao longo das gerações. Se o pilar fundamental é transtornado, todo o edifício fica paralisado e agora vemos isto, porque estamos justamente neste ponto e sabemos”.

“E fico comovido quando leio as melhores biografias do Padre Pio a respeito de como este homem esteve tão atento à santidade do matrimónio e à santidade dos esposos, inclusive, com justificável rigor em algumas ocasiões”, concluiu o Cardeal.

Fonte: Aciprensa